Centrolab

Centrolab, Av. Beira Mar, Nº 544 - Centro. (98) 3221-9350 - (98) 3221-9351

Momento Saúde

Doenças negligenciadas são foco de investimento científico

Outra frente de fomento em pesquisa tem como foco as doenças negligenciadas, como leishmaniose, malária, dengue, Chagas, esquistossomose, tuberculose, entre outras. O Ministério da Saúde preocupado com o tema criou um programa específico. Em 2003, foram R$ 3,79 milhões para 32 projetos. Em 2008, foram R$ 17,91 milhões para 72 projetos, ou seja, quatro vezes mais.

O coordenador do Programa de Doenças Negligenciadas do Ministério da Saúde, Carlos Morel, atribui esse incremento no financiamento à criação do Decit. "Antes, as agências de fomento não atendiam as prioridades das políticas de saúde, mas às prioridades dos pesquisadores", lembra.

Morel diz que o Programa vai fortalecer a capacitação institucional de regiões mais carentes, pois 30% destes recursos vão para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste, diretamente. Além disso, a nova fase da iniciativa, em 2009/10, inclui estudos sobre a esquistossomose, que antes não constava nos editais.

Hoje, os países e blocos que mais investem em pesquisas de doenças negligenciadas são os Estados Unidos, com US$ 1.250.000,00 (70%); em segundo lugar, a União Européia; em terceiro, quarto e quinto, a Inglaterra, Holanda, Irlanda, respectivamente; e o Brasil, em sexto lugar com US$ 21.970.169 (1.24%). Os grandes financiadores são geralmente os governos desses países. "No caso da Inglaterra, havia muito investimento, pois era um país colonizador da África, depois que perdeu essas colônias o interesse diminuiu", conta Morel.

Em relação ao Brasil, o coordenador do programa diz que uma das barreiras a ser ultrapassada é a articulação das universidades com as empresas privadas, para que os estudos possam gerar um produto final (medicamento). Uma das obras do PAC, o Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fiocruz, fará justamente essa aproximação. "Mas nos Estados Unidos, desde 1981, a Lei Bayh-Dole permitia a associação entre universidades e associações industriais para gerar patentes", critica.

Outras notícias

Laboratório diz que vacina contra H1N1 funciona em dose unica.

O laboratório australiano CSL disse nesta quinta-feira que basta uma dose unica da vacina contra a gripe H1N1 para proteger adultos.

16,4% dos brasileiros praticam atividade física

Terceira edição da pesquisa realizada pelo MS mostra que brasileiros estão mais ativos. A boa notícia é que o sedentarismo diminuiu entre homens e mulheres.

Resultado de Exames

Acessar Resultados de Exames

Para visualizar os resultados de exames feitos até 15/05/2021, digite seu Código de Identificação e Senha:

Código de Identificação e Senha Dúvidas? Clique aqui.

© Centrolab. Todos os direitos reservados.